25 de setembro de 2020

Diástase: afastamento do músculo reto abdominal tem tratamento sem cirurgia

Especialista esclarece dúvidas sobre o problema que pode afetar homens e mulheres

Você sabe o que é diástase? É quando o músculo reto abdominal sofre afastamento. De acordo com a fisioterapeuta e especialista no assunto, Leônia Meury, o afastamento da musculatura acontece devido a exercícios incorretos, excesso de peso, constipação intestinal, gordura visceral, hérnia umbilical, gestação, entre outros fatores.
“A diástase abdominal provoca hipotonia muscular, que é a fraqueza do músculo, com isso ocorre a má postura, consequentemente sobrecarrega a coluna, esse fator resulta em dores na coluna, em alguns casos incontinência urinária e o incômodo estético também”, afirma a especialista.
Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), a diástase é a separação maior que 3 centímetros. “A distensão excessiva pode interferir na capacidade da musculatura abdominal em estabilizar o tronco, gerando maior predisposição ao desenvolvimento de dor na coluna lombar”, diz Leônia.
O diagnóstico da diástase pode ser feito por fisioterapeuta e médico cirurgião, que vão fazer uma avaliação da parede abdominal e, em caso de dúvida, é feito um exame de imagem. Porém, ainda conforme a fisioterapeuta, a depender da situação, não é necessário fazer cirurgia para recompor a musculatura abdominal.
“Antigamente só se falava em tratamento cirúrgico. Hoje em dia, o tratamento não cirúrgico surgiu com tudo. O tratamento é baseado em uma série de exercícios respiratórios e físicos para o fortalecimento de toda musculatura do abdômen e assoalho pélvico”, conta acrescentando que, qualquer pessoa pode ter diástase, homens e até mulheres que “nunca tiveram gestação anterior”.
Leônia diz que, após o tratamento correto, a pessoa pode manter o resultado através de uma alimentação equilibrada (evitando o sobrepeso e o distanciamento dos músculos), prática regular de caminhadas e exercícios (sempre com acompanhamento especializado) e postura correta para sentar, com a coluna ereta.
Por assessoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *